Trabalho do Graacc mostra benefícios do atendimento pedagógico hospitalar

Instituição, que trabalha com crianças e adolescentes, adota o atendimento multidisciplinar em complemento ao tratamento médico para motivar o paciente no processo de cura

graacc_6117
Profissional multidisciplinar em trabalho com paciente no GRAACC

Os benefícios que serão proporcionados pela Lei nº 15.886 de 4 de novembro de 2013, baseada no projeto de Lei 363/2012, do vereador Aurélio Nomura, que cria o programa “Atendimento Pedagógico Hospitalar para Crianças e Adolescentes Hospitalizados”, desde já podem ser conferidos na prática.

O método há tempos é adotado pelo GRAACC, cujo programa de tratamento inclui o atendimento pedagógico como forma de oferecer mais qualidade de vida ao paciente. De acordo com a Dra. Amália Covic, um dos primeiros efeitos da Lei será na agilização entre a instituição e a escola em que o aluno estuda, tornando menos burocrático esse relacionamento.

“A lei vai ajudar muito, pois facilitará essa relação. Vamos viver outro momento, como a colocação de professores atuando nos hospitais. Esta lei é o primeiro passo para se chegar a algo maior, que é o Ministério da Educação possibilitar a todo hospital-escola ter professores dentro do curso de residência multiprofissional”, afirma a Dra. Amália Covic, responsável pelo Projeto de Atendimento Pedagógico do GRAACC.

graacc_6130Além de permitir que o aluno não perca o ano letivo, Dra. Amália ressalta que um dos grandes diferenciais do tratamento aliado ao atendimento pedagógico é a adesão ao tratamento, bem como o fortalecimento de vínculos com a escola. “A criança aprende muito com os adultos, e as atividades multidisciplinares contribuem com esse processo. Há um retorno por parte dela, pois sente que a escola, a família e os médicos estão ao seu lado oferecendo todo apoio. Ela percebe essa relação, e isso é muito importante para a nova vida dela, pois sua rotina não será a mesma ainda que toda a equipe de atendimento esteja preparada”, explica Dra. Amália.

O atendimento poderá se dar por duas formas: o pedagógico domiciliar especializado, destinado às crianças ou adolescentes acometidos por doenças prolongadas, impossibilitados de frequentar as aulas; e o pedagógico hospitalar, feito em ambiente de tratamento de saúde onde ocorre a internação.

O desenvolvimento do Programa “Atendimento Pedagógico Hospitalar para Crianças e Adolescentes Hospitalizados” se dará por meio de duas alternativas – o atendimento domiciliar (em casa) ou o atendimento pedagógico hospitalar (em ambiente de tratamento).

graacc_6124“Muitas crianças que passam por um período prolongado de internação são obrigadas deixar seus estudos”, observa o vereador Aurélio Nomura. “O objetivo do projeto é, justamente, permitir a continuidade da educação e demais atividades pedagógicas das crianças e adolescentes internados. Comprovadamente – e o trabalho já feito pelo GRAACC é o melhor exemplo – o fato de poderem continuar com seus estudos e manterem parte de sua rotina contribui com o tratamento desses pacientes, além de elevar a autoestima e a confiança, que vão resultar na melhora de sua saúde”, destaca o parlamentar.

Trabalho do Graacc mostra benefícios do atendimento pedagógico hospitalar
Rolar para o topo