Ipiranga ganha novo marco ligado à Independência do Brasil

Em solenidade com a presença do presidente em exercício, Hamilton Mourão, estátua de D. Pedro I é instalada no Parque da Independência

O bairro do Ipiranga começa a retomar, junto à população, o seu protagonismo na história do Brasil. Mais um passo nesse sentido foi dado no sábado, 25, com a inauguração da estátua de D. Pedro I, maçon, instalada no Parque da Independência, junto a Casa do Grito, em cerimônia que contou com a presença do presidente em exercício, Hamilton Mourão, inúmeras autoridades cerca de mil pessoas.

A obra é um presente da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) e da Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo no aniversário de 466 anos da cidade e especialmente para o Ipiranga. O local foi definido após reuniões dos dirigentes da maçonaria com o vereador Aurélio Nomura que decidiram pelo Parque da Independência para a colocação da estátua por causa da relevância histórica do espaço.

Após fazer um longo apanhado dos fatos que levaram à Proclamação da Independência, o presidente em exercício falou da importância da inauguração deste monumento. “Parabenizo os paulistanos pelos 466 anos. Fico feliz pela oportunidade de nos encontrarmos em São Paulo quando se faz uma linda homenagem a quem proclamou a nossa Independência. Ressalto a importância deste evento em pleno Século XXI, que marcou para sempre o dia 7 de setembro para a história”, discursou.

O Grão-Mestre da Loja Maçônica, Ronaldo Fernandes destacou. “É um dia especial para todos nós e para a cidade de São Paulo. Esse monumento recoloca novamente lado a lado o local e personagem”. João José Xavier, grão-mestre do Gosp (Grande Oriente de São Paulo), por sua vez, destacou que “o monumento é uma homenagem aos homens que lutaram pela liberdade”.

“O Parque da Independência e o Museu do Ipiranga passam por uma grande revitalização e melhorias que vão transformá-los em pontos de interesse turístico. Nas reuniões, verificamos que a estátua de D. Pedro maçon tem tudo a ver com o Ipiranga, onde foi declarada a Independência do Brasil”, observa o vereador Aurélio Nomura.

Em 2017, como líder do Governo, Aurélio Nomura conseguiu garantir recursos da ordem de R$ 800 mil, bancados pela iniciativa privada, para a revitalização do Parque da Independência. Outros R$ 300 mil foram encaminhados pelo vereador por meio de emenda parlamentar, para a segunda fase das obras de revitalização da área anexa ao parque onde estão a Casa do Grito e, ao lado dela, agora, a estátua de D. Pedro.

As obras na área anexa foram divididas em duas etapas. Nesta primeira, o local receberá melhorias que incluem a recuperação dos acessos de circulação dos pedestres, como pavimentação, adequação do portão de entrada e reforma de parte do gradil, escadas de acesso e rampas. Já a segunda fase, para a qual o vereador destinou recursos de R$ 300 mil, serão implantados equipamentos de recreação, como a pista de skate, playground infantil e academia de terceira idade, além de uma grande praça e uma arena ao ar livre.

A Casa do Grito terá um deck de madeira e será conectado a um edifício de apoio que receberá área para café, lanchonete e sanitários, espaço para visitantes e turistas com loja de souvenires e sanitários. Outro espaço será destinado para a instalação de um viveiro de mudas. As obras serão entregues em 2022, nas comemorações do Bicentenário da Independência.

“A inauguração da estátua de D. Pedro pode ser considerada uma prévia das comemorações do bicentenário da Independência, em 2022”, adianta Aurélio Nomura, que preside a Frente Parlamentar em Comemoração aos 200 anos da Independência da Câmara Municipal de São Paulo. “A frente terá efeito positivo não só para as comemorações da data histórica, mas também em investimentos em áreas correlatas. Além disso, trabalharemos junto com os moradores locais e os entusiastas da data para procurar formas de engrandecer as comemorações deste marco histórico”, completou o parlamentar.

REFORMA DO MUSEU DO IPIRANGA

O Museu do Ipiranga está sendo restaurado e modernizado pelo governo do Estado. As obras, iniciadas no ano passado, orçadas em R$ 141 milhões integralmente bancados pela iniciativa privada, visam recuperar o monumento, que é uma das maiores referências nacionais. O projeto do Novo Museu do Ipiranga vai preservar todos os elementos do edifício, ampliá-lo e torná-lo mais seguro. O espaço terá, ainda, uma nova área de 6.800 m², incluindo sala de exposições temporárias, salas para atendimento do programa educativo, café, auditório, loja e uma área de acolhimento, tornando-o compatível com os grandes museus internacionais. Serão instalados novos mobiliários, projeto de iluminação, projetos de multimídia e restauração de acervos e acessibilidade, além do mais avançado sistema de prevenção e combate a incêndio em museus da América Latina.

“Vamos restituir ao Ipiranga, ao Museu do Ipiranga e ao Parque da Independência a importância que sempre tiveram na história do Brasil. Um país que não preserva sua cultura nem seus valores históricos está condenado a perder a própria identidade. Perde-se mais do que a memória – perdem-se os vínculos com a sua essência. No Ipiranga está um capítulo importante da história da nossa gente. Além disso, toda a transformação urbanística pela qual passará, tornando-o polo turístico e de saber, também gerará mais emprego e renda na Região do Ipiranga e incentivará a atividade econômica”, concluiu o vereador Aurélio Nomura.

A escultura Dom Pedro I – Maçom, trabalhada em bronze e granito, tem 2,70m de altura e 500 kg, representa uma homenagem à nossa cidade. Foi idealizado pelo Grão-Mestre (2013-2019) Ronaldo Fernandes, projeto de Hamilton Luiz Costa Júnior e escultura de Luiz Garcia Jorge.